NASCIDOS PARA UM NOVO ANO

“O povo que andava em trevas VIU uma GRANDE LUZ” – Isaías 9:2

No calendário antigo, Roma comemorava o nascimento e batismo de Jesus Cristo no dia 7 de janeiro, mas, a partir do século IV, 25 de dezembro, conhecido como Dia do Sol Invictus (Deus Sol Invicto), começou a ser a data utilizada por cristãos e não cristãos para a celebração do Natal.

Estamos diante de um símbolo mundial complexo e, ao mesmo tempo, mais incrível da história da humanidade: o nascimento do SOL DA JUSTIÇA. Esta foi a apresentação de Jesus Cristo feita pelo profeta Malaquias (4:2).

No Evangelho de João, encontramos uma passagem que fala de uma pessoa que nasceu cega. Naquela época, uma pessoa portadora de necessidades especiais era bem discriminada na sociedade… – aliás, será que só antigamente??? No verso 7, do capítulo 9, João escreve que tal pessoa recebeu a graça de ser curada pelo próprio Cristo. Não se diz por quanto tempo aquela pessoa não enxergou, mas reflito: o que é estar cego e passar a ver?

VER é enxergar, perceber, achar, observar, concluir, inferir, constatar… Se pensarmos bem, quantos de nós não conseguimos enxergar 30 centímetros à frente do nariz? Afinal, problema de visão não é só físico, é emocional, humano, social, intelectual, espiritual… Muitos não conseguimos VER o que acontece ao redor e o pior é que muitos não querem cura para sua dificuldade de ver, se é que se permitem percebê-la.

O mês de dezembro é repleto de emoções, fantasias e magias e, a meu ver, este “clima” só cria máscaras sobre as realidades que não queremos encarar, nem que seja só neste tempo, por não agüentar constatar tanta impunidade, falsidade, hipocrisia, mentira, frieza, corrupção, desgraça…   Admitindo ou não, tudo isso é uma forma literal de TREVAS!

“O povo que andava em trevas VIU uma GRANDE LUZ”, disse o profeta Isaías. Nós também podemos ver esta grande luz, O SOL DA JUSTIÇA que nasceu para nos dar uma nova perspectiva de vida. Não mais uma vida baseada em coisas ou magias, mas uma existência pautada sobre uma realidade disponível para todos nós: Viver Cristo, imitá-lo em nosso cotidiano e extrair, diariamente, o melhor da Vida.

O autor Harlan Miller diz: “Oxalá pudéssemos meter o espírito de natal em jarros e abrir um jarro em cada mês do ano.”[1]. É justamente um dos ensinamentos que Jesus Cristo nos ensina: “basta cada dia o seu mal”[2]. Assim, a cada dia seremos dependentes de Deus, o Pai das Luzes, para ter bons e claros caminhos, idéias, pensamentos, desejos e planos de vida.

A expressão Feliz Natal só é utilizada porque Jesus Cristo nasceu. Que, então, a referência maior para esta festividade seja Ele. Que todos os presentes e gestos mutuamente trocados na ocasião sejam motivados por Ele e não por costumes, obrigações ou interesses nossos.

O centro da festa é a LUZ que agora nos ilumina: JESUS CRISTO. Não há outra razão para festa se Ele não estiver em nossa vida como estímulo maior.

Caminhemos para um novo ano no nascimento do Filho de Deus, Jesus Cristo, Deus conosco.

Feliz Natal!  Ótimo 2010!!

Robson Rodrigues


[1] Fonte: http://www.pensador.info/p/harlan_miller/1/  15/12/2009 15:46

[2] Mateus 6:34

Anúncios

Obrigado pelo seu comentário e em breve entraremos em contato com você. Liderança Pastoral

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s