Liderando com um coração saudável

Oswaldo Luiz Gomes Jacob
Publicado em 04.04.2008

 

O coração é a sede dos sentimentos do homem. Salomão nos ensina que devemos prioritariamente guardar o coração porque dele procedem as saídas da vida (Pv 4.23). Jesus disse que do coração é que originam os maus desígnios (Mt 15.19). Jeremias nos ensina que enganoso é o coração mais do que todas as coisas e desesperadamente corrupto (Jr 17.9,10). É impressionante a influência do coração nas decisões. Diz o Senhor que “a boca fala do que está cheio o coração”. Muitas vezes dizemos coisas ruins porque o nosso coração está doente. Como precisamos pedir ao Senhor que sonde, que examine o nosso fraco coração! Devemos ter a coragem do salmista de reconhecer nossas mazelas e pedir ao Senhor que nos perdoe e nos cure (Sl 51).
 
O coração do líder deve ser saudável. Um coração centrado em Deus. Coração submisso e obediente. Manso e humilde. Sensível e encorajador. Misericordioso e amoroso. Ele deve ser firme nas decisões. Sensato nos relacionamentos. Que discerne bem no meio das circunstâncias difíceis. Um coração inclinado para os ensinos do Mestre. O líder deve ter sempre um coração sincero, despido de quaisquer resquícios de hipocrisia e segundas intenções. Porque, na verdade, temos esta tendência. Jesus condenou veementemente a hipocrisia dos líderes judaicos. Devemos ser sempre transparentes, não nos importando com as conseqüências. 
É mister que peçamos a Deus que nos guarde o coração das más influência.

Líderes como Sansão, Davi, Salomão e muitos outros reis de Israel não guardaram o seu coração. Foram contaminados pela sensualidade e pela idolatria. Erraram o alvo. Perderam o foco do Senhor e o brilho da sua liderança. Transformaram a comissão em omissão. Entristeceram o coração do Pai. Não deram testemunho do Senhor que os havia chamado com tanto amor. Foram, na verdade, ingratos. Não corresponderam às expectativas de Deus.

 
O nosso coração de líder deve ser como o de Abraão, que deixou a sua terra para a terra que Deus havia determinado e foi uma benção para as nações; como José, que preferiu ser preso a ceder para a sensualidade da esposa de Potifar e, assim, comprometer a sua fidelidade ao Senhor e o Seu plano; como Moisés que deixou os tesouros do Egito para servir ao Senhor na liderança do Seu povo; como o de Josué que levou o povo à terra prometida; como Neemias que recebeu de Deus a incumbência de reconstruir os muros de Jerusalém e o fez em 52 dias; e como o de Paulo que recebeu a ordem de Jesus de levar o Seu evangelho de Jerusalém (oriente) a Roma (ocidente). Cumpriram a missão com inteireza de coração. Coragem, determinação, amor e fé.
 
A igreja precisa urgentemente de líderes absolutamente comprometidos com o Reino de Deus. Homens e mulheres que queiram, em Cristo, gastar suas vidas na proclamação do evangelho da graça. Que usem a sua profissão para testemunhar a sua fé em Cristo. Líderes santos que invistam suas vidas no treinamento de outras pessoas. Que sejam ornamentos na igreja, treinando pessoas para serem semelhantes a Jesus.
 
O nosso coração deve estar no centro da vontade de Deus. Que a nossa missão principal seja a de falar de Cristo às pessoas, sem preconceito, agindo com um coração acolhedor. Lideres cuja missão seja libertadora, impactante e encorajadora. O foco do coração do líder é o Senhor. O mesmo Senhor tem prazer na obediência do Seu servo. O Reino de Deus necessita de homens e mulheres cujo coração seja totalmente do Senhor. “Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele(2 Cr 16.9).
 
Jesus é o nosso maior exemplo de alguém que tem o coração na Missão. O nosso líder-servo que veio servir e dar a Sua vida em resgate de muitos (Mt 20.28). Ele tabernaculou entre nós em perfeita sintonia com o Pai. Todo o Seu ministério estava centrado na Missão do Pai. Jesus andava entre os pobres. No Seu coração não havia preconceito. Ele pregou o evangelho do Reino; ensinou o caráter do Pai e curou as enfermidades físicas e emocionais. Foi para a cruz com plena consciência de Missão. Morreu nos amando com um amor incomparável. A Sua vida foi um exemplo de obediência. Ele nos ensinou que o mais importante é buscar e salvar o homem perdido para que haja alegria no céu e Deus seja glorificado.  
 
Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com
Anúncios

Obrigado pelo seu comentário e em breve entraremos em contato com você. Liderança Pastoral

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s