Hábitos para Uma Vida Saudável

Pr. Antonio Francisco

“Ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor” (Fp 2.12).

A forma mais prática e poderosa para uma vida saudável, é o estabelecimento de hábitos que promovam o crescimento espiritual, geralmente chamados de disciplinas espirituais. Esses hábitos não devem ser suportados e sim desfrutados, já que visam nosso fortalecimento e maturidade cristã. A força da virtude de uma pessoa é medida pelas suas ações habituais. Todos nós somos formados por hábitos – bons ou maus. Else são inevitáveis. Somos livres para escolher e desenvolver os hábitos que queremos, mas não temos a
liberdade de escolher os resultados de nossa escolha. Os hábitos que plantamos darão frutos conforme sua espécie e são else que formam nosso caráter. Quais são seus hábitos? Quero incentivá-lo a desenvolver com empenho os que relaciono a seguir. Esses são básicos.

1 – TENHA TEMPO COM A PALAVRA DE DEUS

“Como eu amo a tua lei! Medito nela o dia inteiro” (Sl 119.97).

Somos o que pensamos. Por isso ninguém pode ter uma vida saudável se não tiver uma mente sã. E a melhor maneira de ter pensamentos sadios é fazendo habitar ricamente em nós a Palavra de Cristo (Cl 3.16). O salmista disse: Eu amo os teus mandamentos mais do que o ouro, mais do que o ouro puro” (Sl 119.127). Isso fala dos nossos valores e prioridades. Jesus quando falava da Palavra de Deus como semente e de como as pessoas reagem ao recebê-la,  disse: “As que caíram entre espinhos são os que ouvem, mas, ao seguirem seu caminho, são sufocados pelas preocupações, pelas riquezas e pelos prazeres desta vida, e não amadurecem” (Lc 8.4). Aqui estão algumas razões porque a Bíblia não está funcionando para muita gente – a inversão de valores. As preocupações indevidas, e mesmo quando parecem justas deveriam ser entregues
ao Senhor (Fp 4.6-7; 1 Pe 5.7); o desejo de sempre ter mais e mais, e os entretenimentos que são cada vez mais sedutores. Quem assim está vivendo não consegue gastar tempo com a Palavra de Deus.

Se você quer ter uma vida saudável, crie o hábito de investir tempo na Palavra de Deus. Se você fizer isso diariamente durante um mês, terá criado o hábito. Precisará de mais outro mês seguido para confirmá-lo. Daí para frente é zelar e priorizar o seu tempo diário com a Bíblia. Adote o nosso Plano de leitura bíblica Reencontro”. É bom lembrar que “ler a Bíblia não é o mesmo que ouvir Deus”. Deve ter sido por isso que Paulo escreveu: “… A letra Mata, mas o Espírito vivifica” (2 Co 3.6). Precisamos da experiência de Davi: “… Abriste os meus ouvidos…” (Sl 40.6). Que nossa confissão seja: “Obedeço aos teus testemunhos; amo-os infinitamente!” (Sl 119.167).

2 – ENCONTRE TEMPO PARA ORAR

“De manhã ouves, SENHOR, o meu clamor; de manhã te apresento a minha oração e aguardo com esperança” (Sl 5.3).

“Jesus contou aos seus discípulos uma parábola, para mostrar-lhes que else deviam orar sempre e nunca desanimar” (Lc 18.1). Disse também: “O espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26.41). Isso implica dizer que criar e manter o hábito da oração deve nos predispor para uma batalha espiritual. Eugene Peterson escreveu: “Os conspiradores fazem o máximo que podem para preencher nossas agendas com reuniões e compromissos, de forma que não haja tempo para solidão nem descanso na presença de Deus, para meditar nas Escrituras, para passar tempo, sem pressa, com outras pessoas”.

Lembre-se que a oração é a única maneira de você falar com Deus. Ele pode comunicar-se conosco através de Sua Palavra, através da criação, através de outras pessoas, e também através de pensamentos que Ele nos dá. Porém, a única maneira de você falar com Deus é através da oração.

O que você faz quando está sofrendo? A Bíblia diz: “Entre vocês há alguém que está sofrendo? Que ele ore” (Tg 5.13). E mais: “A oração de um justo é poderosa e eficaz” (Tg 5.16). Se você está em Cristo você é justo; e quando você ora o poder de Deus se manifesta e os resultados acontecem. Portanto, comece a orar. A Bíblia diz: “Orem continuamente” (1 Ts 5.17). Se você ainda não tem o hábito de orar, peço que considere as seguintes sugestões:

1. Comece com pouco tempo. A eficácia da oração não depende do tempo.

2. Determine o tempo e o horário. Isso é importante no começo.

3. Evite distrações (telefone, televisão, barulho…).

4. Fique sozinho com Deus. Jesus fazia isso e nos mandou entrar no quarto.

5. Use a oração do “Pai Nosso” como sua oração e como modelo.

6. Faça uma lista de oração. Ore pela família, amigos, igreja, autoridades..

7. Anote a data do pedido e da resposta. Isso estimula a continuar orando.

8. Use as promessas de Deus para lhe encorajar. Se Deus falou, Ele cumpre.

 

3 – ENTREGUE O SEU DÍZIMO REGULARMENTE

“Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir… para que aprendam a temer sempre o SENHOR, o seu Deus” (Dt 14.22-23).

Lutero dizia que a última coisa que se converte no cristão é o bolso. Isso pode não ter muito a ver com o tema – “hábitos para uma vida saudável”. Mas não é verdade. Estamos mencionando hábitos que falam de três áreas essenciais em nossas vidas: nosso tempo, nosso dinheiro e nossos relacionamentos. Se nesses assuntos nossa vida estiver equilibrada com bons hábitos, certamente teremos uma vida saudável. Foi Jesus quem disse: “Há maior felicidade em dar do que em receber” (At 20.35). Muitos não conhecem essa alegria porque não sabem dar. Conseqüentemente não recebem porque suas mãos estão sempre ocupadas com seus ídolos e deuses materiais. Não é sem razão que a Bíblia diz: “O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá.” (Pv 11.25).

Falando diretamente sobre o dízimo, a própria Bíblia nos estimula com promessas de ricas bênçãos para quem for fiel nessa área. Ela diz: “Honre o SENHOR com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho” (Pv 3.9-10). E mais: “Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova”  diz o SENHOR dos Exércitos, “e vejam se não vou abrir as comportas dos céus
e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las” (Ml 3:10).

Entendo que a maturidade de uma pessoa passa pelo equilíbrio financeiro. O texto de Dt 14.22-23 escrito acima nos diz que a entrega dos dízimos é uma forma de demonstrar o temor a Deus. E Jesus disse: “Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração” (Mt 6.19-21). Portanto, não se deixe influenciar pela crítica dos inimigos da Bíblia, mas pelo contrário, seja fiel dizimista, contribuindo regularmente e ensinando seus filhos desde crianças a terem esse hábito. Isso as tornará abençoadas e prósperas – Deus promete: “Dêem, e lhes será dado” (Lc 6.38).

4 – CULTIVE BONS RELACIONAMENTOS – TENHA COMUNHÃO COM DEUS E COM OS IRMÃOS

“Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união!” (Sl 133.1).

Nas palavras dos Dr. Ray Ortland, “o cristão que não é comprometido com um grupo de outros cristãos para oração, compartilhar e servir, para ser conhecido e conhecer outros, não é um cristão obediente. Não está fazendo a vontade de Deus. Conquanto possa ter uma boa teologia, ele não está obedecendo ao Senhor”.

Um dos nossos propósitos como igreja é a comunhão das pessoas. Deus nos criou com o desejo profundo de relacionamentos. A Bíblia diz: “E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia” (Hb 10.24-25). A estrutura que desenvolvemos para cultivar esses relacionamentos entre as pessoas que estão na igreja, além dos cultos
de final de semana com todos juntos, são os grupos familiares. Os pequenos grupos (6 a 12 pessoas) oferecem os seguintes benefícios para os seus participantes:

Recebemos força para as tempestades da vida. Quem não precisa disso? Eclesiastes 4.9-10 oferece uma razão prática para desejarmos essa comunhão: É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se!” Alguns de nós passamos anos sem viver grandes problemas, no entanto, a Bíblia diz que o problema é uma questão de “quando”, não de “se”. Jesus disse a seus discípulos: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (Jo 16.33). A Bíblia ainda diz: “Levem os fardos pesados uns dos outros e, assim, cumpram a lei de Cristo” (Gl 6.2).

Recebemos sabedoria para tomar decisões importantes. Os grupos pequenos também nos dão sabedoria quando enfrentamos decisões importantes: “Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros” (Pv 15.22). Quanto mais conselheiros houver, diz Deus, tanto
mais oportunidades de fazer a escolha certa.

Experimentamos a prestação de contas uns para os outros, que é vital para o crescimento espiritual. Precisamos de comunhão para obter o verdadeiro crescimento espiritual: “Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro” (Pv 27.17). Essa afiação, não ocorrerá a não ser que nos aproximemos uns dos outros. A união acontece entre Jesus, os outros e nós mesmos – ela nos purifica: “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz  temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos
purifica de todo pecado” (1 Jo 1.7).

Encontramos aceitação, que é fundamental para a cura das nossas feridas. Embora muita gente tenha se resignado ao isolamento, sem esperança de encontrar a comunidade verdadeira, a igreja pode oferecer amizade definitiva  A igreja é a única instituição a qual Jesus ordenou: “O meu mandamento é este: Amem-se uns aos outros como eu os amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos” (Jo 15.12-13). Jesus espera que realmente deixemos tudo que temos, seja o que for, sempre que necessário.

 Extraído de http://groups.google.com.br/group/kadoshi/browse_thread/thread/ff0c58067e57f7e4?hl=pt-BR
 Em 29abr2008.
Anúncios

Obrigado pelo seu comentário e em breve entraremos em contato com você. Liderança Pastoral

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s